Qual a quantidade ideal de protetor solar em cada parte do corpo?

Médicos explicam como deve ser a aplicação correta do protetor solar

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 09/02/2017

Indispensável durante qualquer estação do ano, o protetor solar precisa ser aplicado corretamente para garantir a eficácia e prevenir diversos problemas, entre eles envelhecimento precoce, ressecamento da pele, lesões pré-cancerosas e até mesmo câncer de pele.

PUBLICIDADE

Para isso, é preciso seguir algumas orientações importantes. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o Fator de Proteção Solar (FPS) mais indicado para a população brasileira é de no mínimo 30. Essa é uma orientação mais ampla e, por isso, consultar o dermatologista para que o profissional possa analisar seu tipo de pele e determinar o melhor FPS para seu caso é fundamental.

Além disso, o produto deve proteger contra as radiações UVA e UVB. "A radiação UVA possui intensidade constante durante todo o ano, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno ou o verão. Ela penetra profundamente na pele, sendo a principal responsável pelo fotoenvelhecimento e também influencia no surgimento do câncer", esclarece o dermatologista Daniel Dziabas, membro titular da SBD.

"Já os raios UVB penetram superficialmente na pele e causam as queimaduras solares. São os principais responsáveis pelas alterações celulares que predispõem ao câncer de pele. Portanto, o bom filtro solar deve ter uma boa proteção UVA e UVB", afirma Daniel.

Ele explica ainda que a radiação UVB tem sua incidência aumentada durante o verão, especialmente entre 10 e 16 horas, quando a intensidade dos raios atinge seu máximo.

Mesmo fora desses horários, é imprescindível o uso do filtro solar com FPS 30, no mínimo, lembra o médico.

"As pessoas também devem apostar no uso de proteções físicas, tais como: chapéus com abas largas, bonés, óculos solar e roupas especiais que possuam fator de proteção no tecido", completa.

Uso correto

O filtro solar deve ser aplicado todos os dias, mesmo quando estiver nublado, no mínimo 30 minutos antes da exposição solar.

A reaplicação padrão deve ser feita de 3 em 3 horas, mas esse intervalo diminui (de 2 em 2 horas) em casos de transpiração excessiva, exposição solar prolongada ou após sair da água.

O rosto exige um produto específico: "A pele do rosto, em geral, é mais oleosa que a do corpo. Por isso, para evitar o aparecimento de cravos e espinhas, o ideal é optar por um protetor solar oil-free ou em gel", explica a dermatologista Jucele Bettin, da Clínica FEM, em São Paulo, e membro da SBD.

A dermatologista ressalta ainda que a uniformidade na aplicação do produto é fundamental: "A palavra mais indicada para descrever uma boa aplicação é uniformidade. A aplicação também deve ser generosa em todo o corpo incluindo mãos, pés e orelhas".

Quanto aplicar?

Além dessas recomendações, a quantidade de filtro solar que você deve aplicar também será um ponto importante na eficiência do produto. Mesmo que seja complicado prestar atenção às medidas durante os momentos de descontração na piscina ou na praia, por exemplo, esse cuidado não pode ser negligenciado.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a quantidade de protetor solar indicada para cada parte do corpo é:

  • uma colher de chá de protetor solar no rosto, no pescoço e na cabeça
  • uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco e outra para a parte de trás
  • uma colher de chá para cada braço
  • uma colher de chá para a parte da frente de cada perna e outra para a parte de trás de cada perna.

O dermatologista Daniel Dziabas reforça a importância de espalhar bem o protetor: "As pessoas podem seguir essas medidas. Lembrando que o produto deve ser espalhado uniformemente por todo o corpo sem deixar acúmulos", explica o médico.