7 erros no uso do filtro solar que podem diminuir a proteção

Descubra se você tem algum hábito que pode deixar sua pele desprotegida contra os raios solares

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 13/02/2017

A exposição da pele aos raios solares sem o uso adequado de protetor solar pode provocar diversos problemas

A conscientização sobre o uso do protetor solar para garantir uma pele sempre saudável faz diferença e muitas pessoas estão constantemente de olho para não errar na hora de aplicar o produto. Porém, alguns maus hábitos, que podem passam despercebidos, persistem e chegam a comprometer a eficácia do filtro solar, deixando a pele desprotegida.

PUBLICIDADE

Um dos erros mais comuns é se lembrar de usar o protetor solar apenas no verão, quando vai à praia ou à piscina. Dermatologistas são enfáticos ao afirmar que o uso diário de protetor solar é fundamental durante todas as estações do ano, independente do clima do dia.

Segundo a dermatologista Selma Cernea, do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), a exposição da pele aos raios solares sem o uso adequado de protetor solar pode provocar diversos problemas, que vão desde o surgimento de manchas, ressecamento, perda da elasticidade e envelhecimento precoce até o desenvolvimento doenças graves.

"A aplicação de filtro solar funciona como uma barreira à penetração dos raios ultravioleta, que podem provocar uma série de alterações", explica ela.

Confira outros erros que você precisa eliminar da sua rotina:

Não escolher o protetor solar adequado para o seu tipo de pele

Optar entre os diferentes tipos de protetores solares - que podem ser encontrados em forma de creme, gel, spray e sérum - e definir o Fator de Proteção Solar (FPS) ideal é muito importante para a saúde da pele. É preciso levar em consideração fatores como o tipo e o tom da sua pele, além da idade e tendência a problemas dermatológicos, como manchas e acne.

"Para proteção da pele do corpo, as loções cremosas são as mais adequadas. Se houver muitos pelos, o uso de spray facilita a aplicação. No rosto, o filtro solar deve ser escolhido de acordo com o tipo de pele. Se ela for oleosa, o uso de gel, gel-creme ou loção oil-free é mais adequado. Para pele seca, é mais indicado o uso de creme", exemplifica Selma.

Já quando a questão é a escolha do FPS do filtro solar, quanto mais escuro o tom da pele, maior a quantidade de melanina produzida por ela e, consequentemente, maior a proteção natural contra os danos do sol. Portanto, quanto mais clara a pele, maior será o Fator de Proteção Solar indicado a ela. O ideal é consultar um dermatologista para que o profissional possa determinar o FPS correto. Mas sempre tenha em mente: tanto peles claras quanto escuras precisam se proteger do sol com o uso de filtro solar!

Não reaplicar corretamente o protetor solar

Outro erro comum no uso de filtro solar é reaplicação incorreta do produto. Muitas pessoas acreditam que não é necessário reaplicar protetores solares, que hoje em dia são resistentes à água, e passam muitas horas seguidas expostas ao sol, transpirando e se molhando, sem passar novamente o produto.

"É um erro só aplicar protetor solar quando se chega à praia. É necessário reaplicar o filtro de 2 em 2 horas, principalmente quando você está transpirando e tendo contato com a água. Os produtos saem mais facilmente nesses casos. Mesmo os protetores feitos para a prática esportes, que têm fixação maior, não conseguem se manter na pele por tanto tempo se a pessoa ficar longos períodos na água", explica a dermatologista Daniela Lemes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Usar apenas maquiagem com filtro solar

Existem no mercado diversos tipos de maquiagens com proteção solar, que são ótimas opções para aumentar a proteção diária da pele, mas que não dispensam o uso do filtro solar. Dermatologistas indicam que a maquiagem com Fator de Proteção Solar seja usada sempre por cima do filtro solar.

Esquecer de proteger certas áreas do corpo

Muitas pessoas têm o costume de aplicar protetor solar apenas nas partes mais óbvias do corpo, negligenciando áreas mais "escondidas', como nuca, axilas, orelhas, mãos e pés.

Segundo o dermatologista Leonardo Spagnol Abraham, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o protetor solar deve ser utilizado todos os dias antes da exposição solar em toda a pele que terá contato direto com raios solares. "Qualquer área que poderá ser exposta diretamente ao sol deve ser protegida com o filtro solar. Não podemos esquecer da orelha, nuca e colo", diz ele, lembrando que olhos também devem ser protegidos com uso de óculos escuros com proteção UV.

Vale lembrar que apesar de alguns tecidos funcionarem como uma barreira, protegendo a pele dos raios solares, o protetor solar ainda deve ser usado já que essa proteção depende de diversos fatores como tipo de tecido, densidade da trama e cor, por exemplo.

Na praia ou na piscina essa recomendação se faz ainda mais importante. A dermatologista Daniela Lemes recomenda que quando na praia ou na piscina, o ideal é passar o protetor antes de vestir a roupa de banho. "Você deve passar o filtro sem o biquíni ou maiô, pois a roupa de banho pode sair do lugar e causar uma queimadura em área em que você não aplicou o protetor", explica ela.

Negligenciar o couro cabeludo também é um erro grave: "O couro cabeludo, principalmente de homens calvos, precisa de tanta proteção solar quanto o resto da pele. Essa área é muito incidente de câncer de pele basocelular na idade adulta. Pessoas com pouco cabelo ou cabelo fininho devem colocar um chapéu ou boné para proteger o couro cabeludo", indica a dermatologista.

Economizar na quantidade de protetor solar

A aplicação muito econômica de protetor solar, utilizando pequenas quantidades do produto, também pode comprometer sua eficácia, de acordo com Selma Cernea.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a quantidade de protetor solar indicada para cada parte do corpo é:

  • uma colher de chá de protetor solar no rosto, no pescoço e na cabeça
  • uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco e outra para a parte de trás
  • uma colher de chá para cada braço
  • uma colher de chá para a parte da frente de cada perna e outra para a parte de trás de cada perna.

Segundo recomendação da SBD, a aplicação do filtro deve ocorrer entre 20 e 30 minutos antes da exposição ao sol. Entretanto, alguns produtos disponíveis atualmente no mercado apresentam ação imediata. Esse diferencial vem sinalizado no rótulo.

Produto vencido

A dermatologista Selma Cernea lembra também que é fundamental verificar a data de validade do protetor solar. Muitas pessoas têm o costume de guardar o produto após o fim do verão para resgatá-lo apenas no ano seguinte, sem checar se o produto está vencido.

O primeiro problema nessa situação é que usar protetor solar é obrigatório durante todo o ano. Além disso, o produto vencido pode trazer riscos diversos para a saúde: quando filtros solares estão fora do prazo de validade, além do índice de proteção diminuir e não proteger a pele adequadamente, ainda há risco de que seu uso desencadeie problemas de pele como dermatite de contato, inchaço, bolhas e vermelhidão. Isso porque esses produtos possuem em sua formulação compostos que são passíveis de degradação.