Escleroterapia com espuma é alternativa para tratar varizes sem cirurgia

Técnica foi incorporada ao SUS no início deste ano e não exige internação ou anestesia

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 19/04/2017

Dra. Solange Evangelista
Cirurgia Vascular - CRM 12606/MG
especialista minha vida

As varizes acometem cerca de 30% dos homens e 45% das mulheres, segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. Além do problema estético, causam dor, inchaço, câimbras, sensação de peso nas pernas e queimação. Entre as opções de tratamento, a escleroterapia com espuma ecoguiada, tem ganhado cada vez mais adeptos por ser um procedimento versátil, realizado em clínicas e consultórios, sem necessidade de internação, anestesia, sem cortes ou cicatrizes.

PUBLICIDADE

A técnica foi aprovada no início de 2017 pelo Ministério da Saúde para ser usada no Sistema Único de Saúde (SUS) para fins não estéticos. Antes dessa incorporação, a cirurgia era o único tratamento disponível na rede pública para varizes calibrosas, que demanda internação, afastamento do trabalho e equipe cirúrgica.

Entre as vantagens da escleroterapia com espuma está a de se realizar um número maior de procedimentos para tratamento das varizes no mesmo tempo que se gastaria para realizar uma cirurgia dessa finalidade. Assim, um número maior de pacientes pode ser atendido em um mesmo intervalo de tempo de uma cirurgia. Como há uma grande incidência dessa doença na população, há uma fila de espera por atendimento e tratamento que poderá ser reduzida.

Como é feita a escleroterapia com espuma

A escleroterapia com espuma é realizada com o auxílio do ultrassom. Um medicamento em forma de espuma (como uma mousse) é injetado nas veias varicosas doentes, fechando-as e resolvendo o problema.

Com a escleroterapia é possível tratar telangiectasias (aqueles vasos parecidos com teias de aranhas, muito frequentes nas coxas e atrás dos joelhos), varizes de maior calibre (tortuosas e com relevo) e até mesmo a veia safena. Em varizes de grande calibre, podemos ter uma boa resposta com uma aplicação. Mas, dependendo do calibre do vaso e da quantidade das varizes, podem ser necessárias cerca de quatro aplicações para um resultado satisfatório.

O paciente retorna às suas atividades habituais logo após a sessão, sem interromper sua rotina. Apenas exercícios vigorosos são contraindicados no primeiro mês após o tratamento, em veias safenas e em vasos muito calibrosos. O resultado final em exames de ultrassom e na melhora progressiva dos sintomas e da parte estética pode ocorrer até um ano após o tratamento.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.