Citomegalovírus: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Citomegalovírus?

Sinônimos: CMV

O citomegalovírus (CMV) é um vírus comum que pode infectar a maior parte das pessoas. A maioria das pessoas que tem a doença não percebem, pois o citomegalovírus raramente apresenta sintomas. No entanto, a infecção por esse vírus é preocupante em mulheres grávidas e pessoas com o sistema imunológico deprimido (como quem tem o vírus HIV). O citomegalovírus é da família do vírus da herpes simples.

PUBLICIDADE

Especialista responde: citomegalovírus é uma doença perigosa?

Causas

O citomegalovírus pode ser transmitido de diversas formas, por isso o vírus é tão comum. As formas de transmissão são:

  • Pelas vias áreas: através de tosse, espirros, fala e saliva
  • Sexo desprotegido
  • Transfusão sanguínea
  • Contato com objetos como xícaras e talheres, já que o citomegalovírus não se afeta por condições ambientais
  • Transmissão vertical da gestante para o bebê ou através do leite materno.

Uma vez que uma pessoa entra em contato com o vírus, ele permanece no organismo por toda vida, mas só fica ativo em alguns períodos, quando se torna transmissível. Normalmente a ativação ocorre em pessoas que estão com o sistema imunológico mais fraco.

Quanto transmitido na gestação ele pode causar uma síndrome congênita de citomegalovírus, que traz diversos problemas ao bebê. No entanto, o risco de transmissão é maior quando a mãe entra em contato com o vírus pela primeira vez durante a gravidez. Se ela já tem o vírus no organismo antes, o risco de uma síndrome congênita é menor.

Sintomas

Sintomas de Citomegalovírus

A infecção pelo citomegalovírus em crianças e adultos saudáveis não costuma causar sintomas. Em alguns casos, no entanto, ele pode trazer sintomas mais simples, como:

Os sintomas costumam durar poucos dias.

Citomegalovírus em bebês

Bebês que contraíram o vírus durante a gravidez da mãe muitas vezes nascem parecendo saudáveis, mas alguns podem desenvolver alguns sinais com o tempo, como a perda de audição ou problemas de visão.

Bebês que nascem com citomegalovírus congênito e não aparentam estar saudáveis apresentam os seguintes sintomas:

Citomegalovírus em pessoas com imunidade baixa

Já pessoas que possuem o vírus e tem a imunidade deprimida apresentam sintomas como:

  • Febre
  • Pneumonia
  • Diarreia
  • Úlceras no trato digestivo, causando possível sangramento
  • Hepatite
  • Mudanças de comportamento
  • Convulsões
  • Coma
  • Problemas de visão ou cegueira.

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma infecção por citomegalovírus são:

  • Clínico geral
  • Infectologista
  • Ginecologista obstetra
  • Pediatra.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Há quanto tempo você apresenta estes sintomas?
  • Você trabalha ou vive com crianças pequenas?
  • Você teve uma transfusão sanguínea ou recebeu um órgão transplantado recentemente?
  • Você tem alguma condição de saúde que prejudique seu sistema imunológico, como HIV?
  • Você está fazendo quimioterapia?
  • Você pratica sexo seguro?
  • Você está grávida ou amamentando?

Diagnóstico de Citomegalovírus

Para adultos com sintomas de citomegalovírus, existem exames que identificam anticorpos específicos para este vírus no sangue.

Para gestantes, é importante fazer exames para detectar se você já tem o citomegalovírus no organismo, mas é importante ressaltar que nos casos de uma infecção anterior à gestação, o risco de transmissão é pequeno.

Caso a infecção na gestação seja nova, o ginecologista pode pedir um exame do líquido amniótico para verificar se o feto foi contaminado. Esse exame também pode ser pedido quando as anormalidades relacionadas à infecção congênita por citomegalovírus são notadas.

Pessoas com o sistema imunológico comprometido também devem fazer o exame para verificar se elas possuem o citomegalovírus. Em caso positivo, é preciso seguir com monitorização constante das complicações relacionadas a este quadro.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Citomegalovírus

Infelizmente não há como remover o citomegalovírus do organismo. No entanto, crianças e adultos com o vírus normalmente não precisam ser tratados.

Para recém-nascidos e pessoas com a imunidade comprometida, porém, é possível tratar os sintomas da infecção pelo citomegalovírus, como a pneumonia. Mas o tratamento varia conforme o sintoma e sua gravidade.

Além disso, o tratamento com antivirais pode ser indicado para reduzir o avanço do vírus, que são tomados por pelo menos 14 dias.

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Em crianças infectadas com citomegalovírus durante a gravidez, é possível que elas desenvolvam complicações como:

  • Perda de audição
  • Cegueira ou problemas de visão
  • Dificuldades de aprendizado
  • Dispraxia (dificuldade de coordenação dos movimentos)
  • Epilepsia.

Em casos mais graves e não tratados, o bebê pode falecer.

Já em adultos que desenvolvem a forma mais grave da doença, podem surgir complicações como:

  • Problemas intestinais: como diarreia, febre e dor abdominal
  • Mal funcionamento do fígado
  • Complicações no sistema nervoso central, como a encefalite
  • Problemas pulmonares, como inflamação dos tecidos do pulmão.

Pacientes com HIV costumam desenvolver complicações nos olhos, que podem inclusive levar à cegueira.

Prevenção

Prevenção

Como o citomegalovírus é um vírus comum e altamente transmissível, pode ser difícil previni-lo, mas alguns cuidados podem ajudar a diminuir as chances de contrai-lo:

  • Lavar as mãos sempre
  • Boa higiene ao preparar e consumir alimentos, usar o banheiro, trocar as fraldas do bebê e qualquer outro contato com fluídos corporais
  • Evitar dividir comidas e bebidas no mesmo recipiente com outras pessoas
  • Não beijar crianças próximo aos olhos ou boca
  • Praticar sexo seguro.

Fontes e referências

  • Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC)
  • Clínica Mayo, centro de referência em medicina nos Estados Unidos
  • Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra