Doença renal policística: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Doença renal policística?

Sinônimos: cistos renais, doença renal policística autossômica dominante, drpad, rim policístico

A doença renal policística tem como característica a presença de múltiplos cistos nos rins, que crescem lenta e progressivamente e são preenchidos com líquido, como se fossem várias bexigas ou bolhas cheia de água de diferentes tamanhos.

PUBLICIDADE

O tipo mais comum é a doença renal policística do adulto (DRPA), que acomete pessoas na faixa de 30 a 40 anos de idade, tanto homens como mulheres, de todas as etnias.

Sinônimos

Cistos renais, Rim policístico, Doença renal policística autossômica dominante, DRPAD.

Causas

A doença renal policística é hereditária em 90% dos casos e sua causa decorre de mutações nos genes PKD1 (85%) e PKD2 (15%), que passa de pais para filhos de forma dominante, ou seja, se um dos pais tiver a doença, seu filho tem chance de 50% de ter também.

Quando descoberto de doença renal policística em uma família, todos os parentes próximos deverão ser investigados após os 18 anos de idade e aconselhados, caso desejem ter filhos.

Sintomas

Sintomas de Doença renal policística

Os sintomas da doença renal policística ocorrem geralmente devido ao crescimento dos cistos, que aumentam o tamanho dos rins. Isso faz com que apareçam:

Diagnóstico e Exames

Diagnóstico de Doença renal policística

A forma mais simples de diagnóstico da doença renal policística é por meio do exame de ultrassom, entretanto às vezes os cistos são pequenos e não são facilmente visíveis. Em caso de dúvidas, uma tomografia computadorizada renal ou ressonância nuclear magnética tirará a dúvida.

Um exame genético é a melhor forma de detectar a doença, mas não está disponível de forma universal.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Doença renal policística

Não há tratamento específico e a doença renal policística não tem cura, embora muitos estudos estejam em andamento e podem mudar este panorama no futuro. Porém, faz parte do tratamento aliviar os sintomas da doença renal policística.

É necessário que o paciente com doença renal policística faça acompanhamento médico regular com um nefrologista. O especialista pedirá exames de sangue e de urina estabelecendo a frequência de acompanhamento. O médico indicará remédios que devem evitar que podem piorar o funcionamento dos rins.

Além disso, é importante que o paciente:

  • Evite álcool
  • Pare de fumar
  • Reduza a ingestão de sal.

O paciente também deve ter cuidado na hora de praticar atividades físicas. Esportes de contato que eventualmente rompam os cistos por trauma direto (futebol de campo e de salão, judô, etc.); devem ser evitados.

Complicações possíveis

Uma complicação frequente da doença renal policística é que os cistos maiores podem romper levando ao aparecimento de sangue na urina, que pode assustar, mas geralmente são autolimitados. Isso significa que o repouso e hidratação geralmente fazem ceder o sangramento.

Os pacientes com doença renal policística podem ter episódios de infecção na urina, que devem ser reconhecidos precocemente para que não causem danos ainda maiores do que aqueles já existentes na estrutura dos rins. Além disso, os pacientes têm maior frequência de pedras (cálculos renais), que devem ser evitados com acompanhamento médico especializado.

A pressão arterial tende a subir e quase 2/3 dos portadores de doença renal policística tem hipertensão. O controle da pressão é fundamental para que os rins não sofram as consequências de mais esta complicação.

Juntando as alterações na estrutura pela presença dos cistos, mais as infecções urinárias, os cálculos renais e o aumento da pressão arterial fica fácil entender porque os rins podem ir perdendo parte de sua função chegando até ser preciso substituir suas funções com diálise. Este estágio de doença costuma acontecer geralmente após os 60 anos de idade.

Os cistos podem estar presentes em outros locais como fígado, ovários e pâncreas. Pacientes com doença renal policística e histórico de dor de cabeça podem ter aneurisma cerebral (uma dilatação em vaso cerebral) por má formação. Doença diverticular do intestino e alterações nas válvulas cardíacas também tem associação com doença renal policística.

Prevenção

Prevenção

Como trata-se de uma doença hereditária, a doença renal policística não pode ser prevenida.

Perguntas sobre doença renal policística

Fontes e referências

  • Médica nefrologista Cibele Isaac Saad Rodrigues, diretora científica da Sociedade de Nefrologia do Estado de São Paulo - CRM 39359/SP.