Epicondilite lateral: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Epicondilite lateral?

Sinônimos: epicondilite lateral, bursite epitroclear, epicondilite - lateral, cotovelo de tenista

Apesar de ser conhecido também como "cotovelo do tenista", a epicondilite lateral não é um problema limitado a quem pratica esse esporte. Trata-se de uma inflamação dos tendões do cotovelo muito comum a quem realiza movimentos repetitivos com o punho e os dedos.

PUBLICIDADE

Sinônimos

Cotovelo de tenista

Causas

Os músculos que fazem a extensão do punho e dos dedos tem origem na parte lateral do cotovelo, em uma proeminência óssea chamada epicôndilo lateral. Diversos músculos extensores são originados nessa região e quando o punho está virado para cima, estendido, esses músculos contraem-se, gerando tensão em sua origem. Quando ocorre sobrecarga e desgaste dessa região, pode ocorrer fissuras no tendão, iniciando um processo inflamatório e levando, assim, à epicondilite lateral.

Fatores de risco

Esse problema é mais comum em pessoas com mais de 35 anos. Apesar do nome, o cotovelo de golfista pode afetar qualquer pessoa que usa repetidamente os pulsos e os dedos nas atividades do dia a dia.

Mas atletas que praticam tênis, golfe e outros esportes que consistem no arremesso são mais propensos a apresentar epicondilite lateral.

Sintomas

Sintomas de Epicondilite lateral

Cotovelo de tenista

Os principais sinais e sintomas de epicondilite lateral são:

  • Dor no cotovelo com piora gradual
  • Irradiação da dor da parte externa do cotovelo para o antebraço e para as costas da mão, principalmente ao segurar ou torcer alguma coisa
  • Fraqueza
  • Rigidez muscular
  • Sensibilidade na região afetada.

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar epicondilite lateral são:

  • Clínico geral
  • Ortopedia
  • Reumatologia
  • Fisioterapia.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Você pratica algum esporte? Qual?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? E funcionou?
  • Você trabalha utilizando um computador?
  • Você costuma praticar exercícios de alongamento para os braços, mãos e punhos?.

Diagnóstico de Epicondilite lateral

Epicondilite lateral é, geralmente, diagnosticada com base no histórico clínico do paciente e em um exame físico. Um raio-X pode ajudar o médico a excluir possíveis outras causas dos sintomas, como uma fratura ou artrite. Raramente, outros exames de imagem mais abrangentes - como a ressonância magnética nuclear - são necessários.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Epicondilite lateral

Além de cuidados caseiros que o médico lhe recomendará, ele pode injetar cortisona e um medicamento anestésico em torno da área onde o tendão se liga ao osso. Isso pode ajudar a diminuir o inchaço e a dor.

Se a dor persistir após o período de seis a doze meses de descanso e tratamento, pode ser recomendada cirurgia. Converse com um especialista sobre os riscos e benefícios que a cirurgia pode trazer.

Medicamentos para Epicondilite lateral

Os medicamentos mais usados para o tratamento de epicondilite lateral são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

O primeiro passo para tratar epicondilite lateral em casa é descansar o braço e evitar a atividade que causa os sintomas por, pelo menos, duas a três semanas. Pode-se também:

  • Colocar gelo na parte externa do cotovelo de duas a três vezes por dia
  • Tomar medicamentos anti-inflamatórios vendidos sem necessidade de prescrição médica.

Se a causa da doença for decorrente de atividade esportiva, você pode desejar realizar adaptações na prática esportiva para que não volte a ter o problema novamente.

Além disso, um terapeuta operacional pode mostrar como se exercitar para alongar e fortalecer os músculo do antebraço.

Você pode comprar uma cotoveleira especial para imobilizar o cotovelo na maioria das farmácias. Essa cotoveleira envolve a parte superior do antebraço e tira um pouco da pressão dos músculos.

Complicações possíveis

Se não for tratada, a epicondilite lateral pode causar:

  • Dor de cotovelo crônica
  • Limitação de movimentos
  • Contração duradoura do cotovelo.

Expectativas

A dor no cotovelo decorrente da epicondilite lateral pode melhor sem cirurgia. Entretanto, a maioria das pessoas que faz a cirurgia tem pleno uso de seu cotovelo e antebraço posteriormente.

Prevenção

Prevenção

Evitar atividades que exijam movimentos repetitivos do punho e dos dedos pode ajudar a prevenir epicondilite lateral. Exercícios de alongamento também podem ser úteis neste sentido.

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde