Gravidez psicológica: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Gravidez psicológica?

Sinônimos: pseudociese

A gravidez psicológica é um estado em que o organismo produz uma série de sintomas de gravidez sem que a mulher esteja grávida de fato, ou seja, não houve a fecundação de um óvulo por um espermatozóide e não há embrião ou saco embrionário dentro do útero.

PUBLICIDADE

É importante ressaltar que a gravidez psicológica não é uma invenção ou mentira da mulher. Ela de fato sente os sintomas e acredita estar grávida. O corpo também produz hormônios típicos do período, como o estrógeno e a prolactina.

Esta condição é extremamente rara, ocorrendo em uma a cada 20 a 25 mil gestações.

Sintomas

O corpo da mulher com gravidez psicológica passa por transformações idênticas a da gravidez e a mulher apresenta os seguintes sintomas:

  • Ausência de menstruação
  • Enjôos
  • Aumento do volume abdominal
  • Aumento do tamanho dos seios.

Em casos mais graves, a mulher pode até mesmo apresentar produção de leite e sentir movimentos do feto em sua barriga.

Algumas mulheres chegam até mesmo a entrar em trabalho de parto, apresentando contrações e dores intensas.

Causas

Pouco se sabe sobre o que causa a gravidez psicológica, mas hoje ela é considerada um distúrbio mental e normalmente é engatilhada por problemas emocionais e psicológicos. Algumas situações que podem despertar uma gravidez psicológica são:

  • Baixa autoestima
  • Intensa pressão familiar para engravidar
  • Intensa vontade de engravidar e insucessos ou dificuldades
  • Abortos espontâneos de repetição
  • Insegurança com o relacionamento e medo de abandono
  • Medo intenso de engravidar
  • Problemas no emprego ou outros agentes estressores.

É importante ressaltar que este tipo de problema só leva a uma gravidez psicológica mulheres que estejam muito fragilizadas emocionalmente.

Acredita-se que a gravidez psicológica esteja mais relacionada a quadros depressivos ou psicóticos. Mulheres com histórico de abuso sexual na infância também têm maior chance de apresentar o problema.

Diagnóstico e Exames

Exames

Em um quadro de gravidez psicológica os exames de beta HCG (tanto o teste de gravidez de farmácia quanto o exame de sangue) dão negativo, já que este hormônio é produzido apenas pelas células precursoras da placenta, que não existem no caso de uma gravidez psicológica.

Entretanto, algumas mulheres podem acreditar que estão grávidas mesmo após os exames darem negativo. Nesses casos, o exame mais usado para ter certeza do diagnóstico é o ultrassom da barriga, que costuma mostrar o útero vazio e não sinalizar batimentos cardíacos do bebê.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Gravidez psicológica

Normalmente, o médico mostrar à paciente que não há nada no útero dela durante o ultrassom é um dos meios mais efetivos de parar a gravidez psicológica.

No entanto, a paciente sempre precisa passar por um tratamento psicológico para conseguir aceitar e superar a notícia. Deve ser feita também uma avaliação psiquiátrica para verificar se não há nenhum outro problema mais sério de saúde. O tratamento varia de acordo com os resultados desta avaliação.

Convivendo (prognóstico)

Expectativas

Na maioria dos casos os exames de gestação negativos e ultrassom sem feto são suficientes para o fim do quadro, que pode durar então por algumas semanas.

No entanto, existem casos mais graves em que a mulher não aceita estes resultados e continua com os sintomas, podendo até mesmo chegar a um “trabalho de parto”, sentindo contrações reais. Depois disso, elas acreditam que abortaram ou houve algo com o bebê.

Complicações possíveis

Muitas mulheres que passam por gravidez psicológicas têm mais chances de desenvolverem outras doenças psiquiátricas, como depressão, psicoses, entre outras.

Perguntas frequentes

Homens podem ter gravidez psicológica?

Sim, alguns homens podem apresentar este quadro, mas ele é um pouco diferente e chamado de síndrome de Couvade ou gravidez simpática.

Normalmente na primeira gestação de suas companheiras, alguns homens podem apresentar sintomas parecidos, como enjôos, pequeno ganho de peso, alterações hormonais e distúrbios de sono.

Alguns casos mais extremos apresentam dores de parto, depressão pós-parto e sangramentos do nariz.

Prevenção

Prevenção

Não há como prever que mulheres terão uma gravidez psicológica, mas ter um equilíbrio e cuidado com a saúde mental e emocional pode ajudar a evitar uma mulher de chegar a extremos que levem a este quadro.

Fontes e referências

  • Ginecologista Rodrigo da Rosa Filho, Membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo (SOGESP)
  • Psicóloga clínica Lígia Dantas, membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH)
  • Psicóloga e doula Raquel Jandozza, criadora do projeto Pré-Natal Emocional