Micrognatia: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Micrognatia?

Micrognatia é definida como a deformação da mandíbula inferior, que é menor do que o normal. Uma criança com micrognatia tem a mandíbula inferior muito mais curta do que o resto do rosto.

PUBLICIDADE

Apesar de ser um sintoma comum na infância, a micrognatia pode aparecer mais tarde. Ela ocorre principalmente em crianças que nascem com certas condições genéticas, como Trissomia 13 e progeria.

Em alguns casos, esse problema desaparece conforme a criança cresce e se desenvolve. Em casos mais graves, a micrognatia pode causar má-oclusão dos dentes e problemas com alimentação.

Causas

Alguns casos de micrognatia são causados por doenças hereditárias. Em outros casos, o problema é causado por mutações genéticas que não são transmitidas através de famílias. Condições que muitas vezes causam uma mandíbula inferior encurtado incluem:

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Marque uma consulta médica se o queixo de seu filho ou filha parece muito pequeno ou se há problemas para comer. Algumas das doenças genéticas que causam micrognatia são graves e devem ser diagnosticadas o mais cedo possível. Procure um(a) dentista se a criança tem problemas de mastigação ou para falar.

PUBLICIDADE

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar as causas de micrognatia são:

  • Clínico geral
  • Dentista
  • Pediatra
  • Geneticista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Além da micrognatia, que outros sintomas você notou?
  • Quão graves são os seus sintomas?
  • Alguém da sua família tem os mesmos sintomas?
  • Há histórica familiar de doenças genéticas, como trissomia do 18?
  • Há dificuldade para mastigar ou falar?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para micrognatia, algumas perguntas básicas incluem:

  • O que provavelmente está causando os sintomas ou condição?
  • Quais são as outras causas possíveis para os sintomas ou condição?
  • Que tipos de testes são necessários?
  • Essa condição é temporária ou crônica?
  • É necessário fazer alguma restrição daqui em diante?
  • Há algum material impresso que eu posso levar comigo? Quais sites você recomenda?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Micrognatia

O maxilar inferior da criança pode crescer o suficiente por conta própria, especialmente durante a puberdade. Neste caso, não é necessário um tratamento.

Em geral, os tratamentos para micrognatia incluem:

  • Uso de equipamentos especiais para alimentação, caso a criança esteja com dificuldade para comer
  • Cirurgia corretiva para adicionar ou mover pedaços de osso e estender maxilar inferior
  • Dispositivos corretivos, tais como aparelho ortodôntico, para consertar dentes desalinhados.

Tratamentos específicos para as causas de micrognatia dependem de qual é a condição e quão graves são os sintomas. Os métodos de tratamento podem variar desde medicamentos e acompanhamento até cirurgias.

PUBLICIDADE

Convivendo (prognóstico)

Expectativas

Se o queixo da criança está crescendo por conta própria, os problemas de alimentação geralmente param.

A cirurgia corretiva é geralmente bem sucedida, mas pode demorar nove a 12 meses para o queixo se curar completamente.

Em última análise, as perspectivas dependem da condição que causou micrognatia. O médico ou médica pode lhe dar mais informações sobre a doença que está causando a micrognatia e quais as perspectivas de tratamento.

Fontes e referências

  • American Association of Oral and Maxillofacial Surgeons