Nistagmo: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Nistagmo?

Sinônimos: movimentos intermitentes dos olhos, movimentos involuntários dos olhos, movimentos incontrolados dos olhos

Nistagmo são oscilações rítmicas, repetidas e involuntárias de um ou ambos os olhos conjugadamente, nos sentidos horizontal (de um lado para o outro), vertical (de cima para baixo) ou rotatório (movimentos circulares) que podem dificultar muito a focalização das imagens.

PUBLICIDADE

Causas

O nistagmo mais comum são os de causas patológicas onde ele pode prejudicar a fixação e a eficiência visual, especialmente para visão à distância. No caso de patologias, os olhos se movem primeiro na direção do lado lesionado (fase lenta do nistagmo) e em seguida faz uma rápida correção (fase rápida do nistagmo) para o lado oposto.

As causas mais comuns do nistagmo são:

  • Labirintite
  • Maculopatias (lesões da mácula, parte central da retina)
  • Albinismo e patologias neurológicas.

O nistagmo pediátrico difere muito do nistagmo iniciado na fase adulta. Na infância, o nistagmo pode ter causas relacionadas a um defeito do olho ou na relação de comunicação entre o olho e o cérebro. É ainda associado à catarata, glaucoma, desordens de retina, albinismo e em pacientes com síndrome de Down. Alguns tipos de nistagmo podem ser hereditários, enquanto outros de causa desconhecida.

O nistagmo menos comum são os causados pelo uso de certos medicamentos, excesso de álcool, deficiência de vitamina B12, ferimentos na cabeça e labirintites.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Sempre que os pais (no caso de recém-nascido e crianças) ou um adulto notar algo de anormal nos olhos, como movimentos involuntários, deve-se procurar imediatamente um oftalmologista, mesmo que não tenha perda ou diminuição da visão para um diagnóstico.

No caso dos adultos pode ser o sintoma de esclerose múltipla ou associado à lesão neurológica aguda nas vias motoras oculares localizadas no tronco cerebral ou cerebelo, labirintites, maculopatias, entre outras doenças.

PUBLICIDADE

Prevenção

Diagnóstico de Nistagmo

O exame preliminar para diagnóstico do nistagmo é simples. O oftalmologista notará o tremor dos olhos e a partir da idade e do exame oftalmológico poderá solicitar uma avaliação com um neurologista, além de exames de imagem para descartar outras patologias.

Tratamento e Cuidados

Cuidados

Em crianças, é importante ter apoio educacional adequado com o objetivo de melhorar o processo de focalização de imagens e fazer um bom condicionamento visual. Indica-se boa ergonomia de ambientes de casa, aumento de letras em computadores e ainda um trabalho específico voltado para esse problema.

Atualmente, o tratamento medicamentoso emprega substâncias estimuladoras do sistema neurotransmissor inibitório (ácido gamma-amino-butírico/GABA) ou depressoras do sistema neurotransmissor excitatório (glutamato). Recentemente a utilização da toxina botulínica incrementou o arsenal terapêutico mas ainda não apresentou resultados consistentes.

Em relação ao tratamento óptico, o mais difundido é o uso de prismas. Isto se dá com duas finalidades: corrigir o mau posicionamento da cabeça, resultante de uma posição de bloqueio distinta da posição primária (bases primáticas colocadas para o mesmo lado) e estimulação da convergência (bases deslocadas temporalmente).

A substituição dos óculos por lentes de contato é uma alternativa terapêutica.

O tratamento cirúrgico do nistagmo objetiva a melhoria da acuidade visual e a eliminação do torcicolo. Na maior parte das vezes realiza-se a cirurgia proposta por Kestenbaum e por Anderson, ou seja, por meio de retrocessos e ressecções movem-se os quatro músculos retos horizontais com o intuito de transferir a zona de bloqueio para a posição primária do olhar.

PUBLICIDADE

Fontes e referências

  • Alfredo Tranjan Neto, diretor do Tranjan Hospital de Olhos e especialista Minha Vida (CRM-SP 32972)