Osteossarcoma: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Osteossarcoma?

Sinônimos: sarcoma osteogênico

Osteossarcoma é um tumor que começa nas células dos ossos, e não nas cartilagens como os condrossarcomas. Ele pode aparecer em qualquer osso, mas o mais comum é que surja nos seguintes ossos:

PUBLICIDADE
  • Tíbia, próxima ao joelho
  • Fêmur, próximo ao joelho
  • Osso superior do braço, próximo ao ombro.

O tumor é muito mais incidente em crianças e adolescentes, principalmente no estirão de crescimento, devido à alta velocidade com que os ossos aumentam nesse período. Mas alguns casos ocorrem em adultos.

Causas

Em geral os cânceres nos ossos, como o osteossarcoma, são causados por erros no DNA das células, que começam a se multiplicar e crescer sem controle. Essa nova massa, ou tumor, começa a invadir o espaço de outras estruturas próximas. Não se sabe ao certo o que desencadeia esse processo.

Fatores de risco

  • Idade:o osteossarcoma é mais comum em crianças e adolescentes, principalmente no período de estirão do crescimento
  • Sexo:o osterossarcoma é mais comum em homens do que mulheres, de acordo com a Sociedade Brasileira de Oncologia
  • Doença de Paget do osso: portadores dessa doença crônica têm mais chances de apresentar o osteossarcoma na vida adulta.

Sintomas

Sintomas de Osteossarcoma

Os sintomas de osteossarcoma variam conforme o local em que o câncer aparece. Mas, em geral, os principais sintomas do osteossarcoma são:

  • Dor nos ossos ao se mover, descansar ou mesmo ao levantar objetos
  • Fraturas ósseas
  • Inchaço local
  • Vermelhidão
  • Mancar
  • Limitação de movimentos nas juntas.

Em geral a dor nos ossos varia conforme o caso, mas um sinal comum é a dor impedir a criança ou adulto de dormir a noite. A dor muitas vezes pode ser assemelhar às dores do crescimento. Uma forma de perceber a diferença é sentir se os músculos do local parecem menores do que o normal.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Como o diagnóstico precoce do osteossarcoma é essencial para evitar complicações, é importante consultar o médico a qualquer sintoma, principalmente a dor nos ossos, sintoma principal dos cânceres dos ossos, como o osteossarcoma.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar um osteossarcoma são:

  • Ortopedista
  • Oncologista
  • Cirurgiões ortopédicos especialistas em cirurgias de câncer
  • Patologistas.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Seus sintomas são contínuos ou ocasionais?
  • Quão severos são seus sintomas?
  • Algo parece melhorar seus sintomas? Se sim, o que?
  • Algo parece piorar seus sintomas? Se sim, o que?.

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para osteossarcoma, algumas perguntas básicas incluem:

  • Em que estágio e grau o ostessarcoma está?
  • Precisaremos de exames adicionais?
  • Quais são as opções de tratamento?
  • Há algum deles que você considere o melhor para o caso? Por quê?
  • Que chances esses tratamentos tem de curar o câncer?
  • Quais os efeitos colaterais desses tratamento?
  • O tratamento pode afetar a fertilidade no futuro?
  • Como o câncer e seu tratamento pode afetar outras condições de saúde?.

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Osteossarcoma

Uma série de métodos podem ser usados para diagnosticas o osteossarcoma. Antes de tudo, o médico fará um exame físico, para verificar o inchaço e vermelhidão, caso ocorram. Depois disso, alguns exames serão pedidos. Veja alguns deles:

  • Teste de marcadores tumorais: esse exame mostra se há no sangue alguns substâncias que indicam a presença de um tumor
  • Raio-X: para visualizar como está o osso e se há algum tecido mais denso nele
  • Tomografia PET: um exame que monitora a atividade metabólica no corpo todo e consegue detectar tumores
  • Cintilografia óssea: um exame mais detalhado que mostra, inclusive, se o tumor já se espalhou para outros ossos.

A biopsia também é um exame importante, pois determinará se o tumor é maligno ou benigno. Em geral a biopsia é feita ou com agulha, que é introduzida até o local em que está o tumor, ou com uma cirurgia, em que o médico faz uma incisão e pode remover o tumor inteiro ou apenas uma parte dele para análise.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Osteossarcoma

Em geral o osteossarcoma pode ser tratado com a combinação da cirurgia com quimioterapia. Entenda melhor cada um dos tratamentos para osteossarcoma:

Quimioterapia

A quimioterapia normalmente é ministrada primeiramente no tratamento do osteossarcoma. Os medicamentos são capazes de fazer o tumor regredir ou manter-se do mesmo tamanho. A duração do tratamento varia conforme o quadro e o quanto o tumor já cresceu e se espalhou.

Cirurgia

A cirurgia retira o tumor que restou após a quimioterapia, além das partes do osso que o cercava. O osso depois é substituído por um artificial. O ideal é que o tumor não seja cortado ou danificado de qualquer forma na cirurgia, para que as células cancerígenas não se espalhem. É comum que a quimioterapia seja feita mais uma vez após a cirurgia, para matar qualquer eventual célula cancerígena que tenha restado.

Com a evolução da tecnologia e das técnicas cirúrgicas, o membro afetado normalmente é salvo ou pode ser reconstruído.

Convivendo (prognóstico)

Complicações possíveis

Quando não tratado no tempo correto, o osteossarcoma tende a fazer metástase nos pulmões.

Expectativas

Cerca de 65% das pessoas que tem esse tipo de tumor diagnosticado sem metástase e são submetidas a quimioterapia conseguem sobreviver até cinco anos. Quando a quimioterapia destrói o osteossarcoma totalmente, as chances de sobreviver mais do que cinco anos é de 90%.

Prevenção

Prevenção

Por ser um câncer de origem genética, e cujos fatores desencadeantes não são tão claros, não há como prevenir o osteossarcoma.

Fontes e referências

  • -Sociedade Brasileira de Oncologia;Manual Merck.