Pé chato: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Pé chato?

Sinônimos: pé plano, pes planus

Pé “chato”, ou pé plano, é um formato especifico dos pés, que se apresentam com diminuição do arco plantar, determinando, assim que, ao ficar em pé, a planta do pé toque o chão por inteiro. A maior parte dos bebês apresentam pés planos, pois o arco ainda não se desenvolveu e também pelo fato dos pés terem uma maior quantidade de gordura, dando uma impressão de aplanamento. Com o crescimento, normalmente observa-se a mudança da forma dos pés, mas, às vezes, persiste até a idade adulta.

PUBLICIDADE

Causas

O pé chato pode ter como causa uma predisposição familiar ou ainda ser decorrente de um componente de hiperfrouxidão ligamentar. Alguns casos podem estar relacionados à malformações ósseas ou ao aparecimento de ossificações anômalas, nestes casos geralmente a pessoa apresentará dor nos pés, que se mostrarão mais evidentes na idade escolar. O aparecimento ou a intensificação do aplanamento do pé na idade adulta pode ter como causa uma ruptura tendinosa, que pode traumática ou degenerativa (crônica), nestes casos a pessoa também apresentará dor local.

Fatores de risco

Dentre os fatores de risco para o desenvolvimento do pé chato então:

  • Hiperfrouxidão ligamentar
  • Historia familiar de pé plano
  • Lesões traumáticas nos pés (pé plano adquirido)
  • Doenças reumáticas (predispõe a ruptura dos tendões)
  • Idade avançada

Sintomas

Sintomas de Pé chato

A maioria das pessoas não sente nenhuma dor relacionada ao pé chato. Contudo, algumas crianças, apresentando hiperfrouxidão ligamentar, podem ter uma queixa de dor muscular nas pernas ou fadiga devida ao esforço.

Caso a condição do paciente com pé chato seja mais grave, ela poderá vir acompanhada de causar dor, desequilíbrio mecânico da marcha e ainda interferir nas atividades funcionais da pessoa, limitando a pratica desportiva.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

O desenvolvimento do arco plantar normalmente ocorre entre os dois e os seis anos. Os pais devem estar atentos no caso de dores recorrentes, piora da deformidade, posicionamento assimétrico dos pés, isto é, um pé é diferente do outro, ou dificuldade na realização de atividades desportivas.

Também deve-se atentar caso o pé chato surja apenas durante a idade escolar, pois este pode ser um sinal de uma barra óssea e é importante procurar auxílio médico ortopédico. O mesmo deve ser feito caso o paciente adulto apresente uma mudança na forma de seu pé, pois pode ser um indício de outras condições de saúde.

Na consulta médica

Caso esteja sentindo dor em um, ou ambos os pés, o paciente deve procurar um ortopedista. No caso de crianças, é recomendado procurar um especialista em ortopedia pediátrica.

Quando você for a consulta é importante estar com sapatos que use no dia a dia, pois o médico pode verificar a o padrão de gasto das solas do sapato.

Para facilitar a análise e agilizar a consulta, você pode levar as respostas das seguintes questões para quando for conversar com o médico:

  • Você sente dor nos pés ou nas pernas? Quanto a frequência e a intensidade?
  • Quando foi a primeira vez que notou algum problema no seu pé?
  • Esta dor está relacionada com alguma atividade ou calçado?
  • Você notou mudança na forma de seu pé ou aparecimento de calosidades?
  • Os pais ou irmãos têm os pés parecidos com o seu?
  • Você tem outros problemas de saúde?

Além dessas questões, o profissional provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Onde, exatamente, você sente dor?
  • Alguma posição ou movimento piora essa dor?
  • A sua dor muda de acordo com o tipo de calçado (saltos, sapatinhas, tênis, sapato social etc.) que usa?
  • Já usou algum tipo de suporte para o arco, como botas ou palmilhas?
  • Como essa dor afeta a sua qualidade de vida?

Diagnóstico de Pé chato

O diagnóstico do pé chato inclui um exame físico em que o profissional avaliará o seu pé (parte da frente e de trás), pode pedir para que você ande descalço para que ele observe a forma (mecânica) do seu movimento e, ainda, pode verificar o padrão de gasto da sola do sapato. Além disso, caso o paciente sinta muitas dores, ele pode pedir os seguintes exames para integrar o diagnóstico:

  • Raiox
  • Tomografia computadorizada
  • Ultrassonografia
  • Ressonância magnética

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Pé chato

No caso das crianças, antigamente era comum que os médicos recomendassem o uso de botas ortopédicas a fim de ajustar a curvatura dos pés. Contudo, hoje esta conduta é mais restrita, sendo utilizada apenas em alguns casos específicos, como nas crianças com grande hiperfrouxidão ligamentar e nos casos de dores recorrentes nos pés ou pernas, atribuídos ao desequilíbrio mecânico provocado pelo posicionamento anormal dos pés.

Se não há dor, ou formação de calosidades, tanto em adultos quanto em crianças, normalmente não é necessário nenhum tipo de tratamento. Em caso de dores, o médico pode recomendar os seguintes procedimentos de acordo com a causa e intensidade do incômodo:

  • Suportes ortopédicos como palmilhas ou botas podem ajudar a aliviar as dores. O médico pode indicar palmilhas personalizadas, que são feitas de acordo com o formato e tamanho de cada pé. É importante lembrar que esse procedimento não cura o pé chato, apenas pode reduzir os sintomas.
  • Exercícios de alongamento podem ajudar muito quando o paciente tem um tendão de Aquiles (do calcanhar) encurtado, ou outros problemas de tendão.
  • Uso de tipos específicos de sapatos, que contenham mais apoios, também podem ser recomendados pelo médico com a finalidade de diminuir as dores.
  • Perda de peso, pois, com isso diminuiria a pressão no local aliviando a dor.

A cirurgia pode ser indicada nos casos de pés planos graves, principalmente quando provoca interferência no padrão de marcha, ou promova dor ou fadiga muscular devida ao esforço. Nestes casos, normalmente a cirurgia somente é indicada após os 10 anos de idade. Nos pés chatos associados à presença de barra óssea, lesões tendinosas ou ligamentares, a necessidade de intervenção cirúrgica é frequente.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Seguindo as recomendações médicas, espera-se que a dor diminua significativamente. Normalmente, quando há necessidade do uso de suportes ortopédicos, os médicos optam por indicar um determinado tipo de palmilhas, que podem ser usadas com a maioria dos sapatos, sem prejuízo estético ou de conforto. No caso de alongamentos, o paciente provavelmente sentirá uma melhora considerável dos sintomas em pouco tempo e deverá transformar o momento do alongamento em sua rotina diária. O hábito, além de aliviar as dores, ajuda a prevenir lesões quando realizado de forma correta e regularmente. Para os casos cirúrgicos, o pós-operatório será diferente para cada caso, mas a recomendação médica deve ser seguida para minimizar os riscos e acelerar o tempo de recuperação.

Complicações possíveis

Apesar de normalmente o pé chato não ter sintomas significativos, em alguns casos pode estar relacionado à problemas de tendão (tendinite do calcâneo),ruptura de tendão etc.).

Expectativas

No geral, nos casos dos bebês e das crianças, os pais podem esperar que a curvatura dos pés dos pequenos se desenvolva progressivamente até o início da idade escolar. Os casos mais intensos devem ser avaliados pelo médico, principalmente na presença de dor nos pés ou nas pernas, aparecimento de calosidades ou dificuldades para locomoção ou para praticar esportes.

Nos adultos, seguindo as recomendações médicas, é possível esperar a diminuição significativa ou total da dor, apesar de não alcançarem a cura para o pé chato em si.

Prevenção

Prevenção

Não há como prevenir o pé chato, pois ele faz parte de uma característica pessoal. Contudo, os adultos podem se beneficiar com algumas atitudes:

  • Fazer alongamentos regularmente
  • Usar sapatos confortáveis e de acordo com o seu tipo de pé e pisada, principalmente quando for realizar exercícios
  • Estar dentro da faixa de peso adequada para o seu gênero, idade e altura

Fontes e referências

  • Revisado por Miguel Akkari, ortopedista e membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Ortopedia – CRM: 73801
  • Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica
  • Manual Merk
  • Clínica Mayo