Pústulas: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Pústulas?

Sinônimos: bolha com pus na pele

As pústulas são pequenas "bolhinhas" com pus (aquele líquido cremoso, de cor amarelada) no interior, que podem aparecer na pele. São frágeis e podem romper com o atrito ou pressão, liberando esse material purulento e, por vezes, sangue. É comum a pele ao redor e abaixo da pústula estar vermelha, em decorrência da inflamação. O sintoma mais comumente associado é dor, a depender da causa. A coceira é sintoma menos frequente, mas também pode existir.

PUBLICIDADE

Causas

Ela é causada por uma inflamação intensa na pele, gerando o pus, que consegue fazer essa pequena elevação, até que rompe a camada mais superficial da pele e extravasa. O pus é composto de células de defesa do organismo, células mortas da pele e muitas vezes micro-organismos, principalmente bactérias.

Existem várias doenças que podem cursar com pústulas, como psoríase, rosácea, micoses e, principalmente, pseudofoliculite da barba ("pelos encravados") acne e infecções bacterianas.

Fatores de risco

Os fatores de risco de forma geral para as pústulas de origem bacteriana (as mais comuns), são lesões e traumatismos na pele (cortes, arranhões) que deixam a barreira cutânea aberta e vulnerável à entrada de bactérias, como por exemplo, após o uso de giletes para raspagem dos pelos. Além disso, a má higiene e o contato com objetos e locais muito contaminados por micro-organismos (bactérias) também têm grande influência no quadro.

No caso das pústulas da acne (espinhas), muito comuns nos adolescentes, principalmente no rosto, os fatores predisponentes são outros, como idade, hormônios, alimentação, produção de sebo, higiene da pele, etc. Ou seja, são as causas da acne propriamente dita.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

A presença de pústulas na pele nunca é normal. Por isso, sempre é necessário procurar um dermatgologista caso apareçam.

PUBLICIDADE

Diagnóstico de Pústulas

O diagnóstico da pústula é clínico, ou seja, a aparência é bem característica e faz o diagnóstico por si só. Normalmente não são necessários exames. Em casos selecionados pode ser necessária biópsia de pele e envio do pus para laboratório, para investigação do tipo de bactéria envolvida.

Tratamento e Cuidados

Cuidados

Até o dia da consulta é necessário não estourar, espremer ou manipular as pústulas. Não é adequado também aplicação de medicamentos antes da visita ao médico, até para não atrapalhar o diagnóstico.

PUBLICIDADE

Fontes e referências

  • Tiago Silveira, dermatologista e coordenador de ambulatórios de atendimento em dermatologia geral e cosmiatria do Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay, na Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro (CRM-RJ 863.971)