Sindactilia: tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Sindactilia?

A sindactilia é uma malformação embriológica extremamente rara que acomete os dedos. Ela consiste na fusão entre dois ou mais dedos das mãos ou dos pés, podendo ocorrer tanto em partes moles (sindactilia cutânea) quanto em ossos (sinostose).

PUBLICIDADE

Tipos

Existem dois tipos mais comuns de sindactilia: a sindactilia cutânea e a sinostose. O primeiro caso ocorre quando a fusão se dá em partes moles dos dedos, de solução cirúrgica mais simples. Já o segundo consiste na fusão óssea dos dedos – o que é bem mais difícil de tratar.

Causas

Não se sabe afirmar ao certo quais são as causas exatas de sindactilia. Elas podem ser várias – desde uma anormalidade herdada de um dos pais até o resultado de uma alteração genética, ocorrida durante a fase embrionária.

A sindactilia pode vir acompanhada, também, de outras anomalias genéticas, como a síndrome de Down e causas extremamente raras, como:

  • Síndrome de Apert, caracterizada por uma anomalia craniofacial
  • Síndrome de Carpenter, em que há acrocefalia, anomalias craniofaciais, branquidactilia e sindactilia dos dedos
  • Síndrome de Cornelia de Lange, caracterizada por malformações congênitas e atrasos no desenvolvimento motor
  • Síndrome de Pfeiffer, caracterizada pela fusão prematura de certos ossos do crânio
  • Síndrome Smith-Lemli-Opitz, em que ocorrem múltiplas malformações congênitas, atraso mental e problemas de comportamento.

Fatores de risco

Um dos fatores de risco mais conhecidos para sindactilia é o uso de medicamentos à base de hidantoína durante a gestação.

Além disso, este problema parece ser mais comum em pessoas do sexo masculino do que do sexo feminino, mas os médicos ainda não sabem dizer por que e nem se há alguma relação entre o sintoma e o sexo do indivíduo.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

A sindactilia é um problema visível e que pode ser diagnosticado sem ajuda médica. A família, no entanto, deve procurar auxílio especializado o quanto antes para saber que medidas tomar. Geralmente, a intervenção cirúrgica é recomendada o mais rápido possível, pois a sindactilia pode levar a complicações maiores na formação dos dedos.

PUBLICIDADE

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a sindactilia são:

  • Clínico geral
  • Ortopedista
  • Geneticista
  • Pediatra.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando você notou a malformação nos dedos de seu filho?
  • Quantos dedos estão envolvidos?
  • Quais dedos estão envolvidos? Das mãos ou dos pés?
  • Há presença de outros sintomas?
  • Seu filho foi diagnosticado com alguma condição de saúde? Qual?
  • Seu filho possui alguma outra malformação congênita?
  • A mãe fez uso de medicamentos à base de hidantoína durante a gravidez?

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Sindactilia

O tratamento mais indicado para crianças com sindactilia é a realização de uma cirurgia para separar os dedos envolvidos. Pacientes com vários dedos afetados muitas vezes exigem mais de um procedimento cirúrgico. No caso das mãos, a cirurgia deve ser feita o quanto antes, pois a sindactilia pode causar transtornos ao crescimento dos outros dedos, além de deformidades e perda de amplitude dos movimentos. A sindactilia dos dedos mindinho e polegar, em virtude do prejuízo funcional que acarreta, requer uma separação nos primeiros meses de vida. Os demais dedos, no entanto, podem esperar até do 12º ao 18º mês de idade.

PUBLICIDADE

Fontes e referências

  • Ministério da Saúde