Vacina contra dengue: entenda como ela funciona e quem pode tomar

Vacina é dada em três doses e ainda precisa ter seu preço definido antes de ser distribuída no Brasil

O que é a vacina contra dengue

A vacina contra dengue é uma vacina criada para prevenir a manifestação do vírus. Como a dengue é um vírus incurável e que pode levar a complicações sérias, dependendo de sua infecção, a vacina é uma forma de prevenir a doença, principalmente suas formas mais graves.

PUBLICIDADE

Variações da vacina contra dengue

Atualmente apenas uma vacina foi licenciada no Brasil, a desenvolvida pela empresa francesa Sanofi Pasteur. Ela é feita com vírus atenuados e é tetravalente, ou seja, protege contra os quatro sorotipos de dengue existentes. Ela possui a estrutura do vírus vacinal da febre amarela, o que lhe dá mais estabilidade e segurança.

Vacinas com o vírus atenuado são aquelas que diminuem a periculosidade do vírus, garantindo que ele não cause doenças, mas sejam capazes de gerar resposta imunológica, fazendo com que o organismo da pessoa reconheça o vírus e saiba como atacá-lo quando a pessoa for exposta a sua versão convencional.


A eficácia na população acima de 9 anos é de, aproximadamente, 66% contra os quatro sorotipos de vírus da dengue. Isso significa que em um grupo de cem pessoas, 66 evitariam contrair a doença. Além disso, reduz os casos graves - aqueles que levam ao óbito, como a dengue hemorrágica - em 93% e os índices de hospitalizações em 80%.

Além dela, o Instituto Butantan está testando uma nova vacina feita no Brasil. O antíduto também é feito com vírus atenuados e está na terceira fase de testes, em que mais de 17 mil voluntários serão observados: dois terços deles receberão a vacina verdadeira e um terço receberá um placebo. Antes ela passou por testes clínicos nos Estados Unidos em 600 pessoas e depois em São Paulo por mais 300. O plano de fazer os testes agora em todo Brasil é garantir que as pessoas estudadas tenham contato com todos os sorotipos da doença.

Doenças que a vacina previne

Esta vacina só é capaz de prevenir contra o vírus da dengue, não garantindo imunização contra outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como o Zika vírus e a febre chikungunya.

A dengue é uma epidemia e está disseminada em mais de 100 países, o que representa metade da população mundial.

Existem quatro tipos de dengue, pois o vírus causador da dengue possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. A infecção por um deles dá proteção permanente para o mesmo sorotipo, mas imunidade parcial e temporária contra os outros três.

Embora pareça pouco agressiva, a doença pode evoluir para a dengue hemorrágica e a síndrome do choque da dengue, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, o que eleva o risco de morte. A melhor maneira de combater esse mal é atuando de forma preventiva, impedindo a reprodução do mosquito.

Indicações da vacina contra dengue

A vacina contra dengue da Sanofi Pasteur só pode ser aplicada no Brasil em pessoas de nove a 45 anos, faixa etária que representa 70% dos casos de dengue no Brasil. Além disso, os testes da vacina foram feitos nessa faixa etária e a segurança da vacina foi comprovada nesses indivíduos.

Grávida pode tomar a vacina contra dengue?

Gestantes são contraindicadas a tomar a vacina contra a dengue, por ser uma vacina com vírus atenuados, ou seja, com maior potencial (mesmo que teórico) de causar doenças em pessoas com o sistema imunológico mais deficiente, como o feto.

Doses necessárias da vacina contra dengue

A vacina contra a dengue da Sanofi Pasteur é aplicada em três doses, com intervalos a cada seis meses. Não se sabe se tomando apenas duas doses da vacina a pessoa pode ficar imunizada também, já que não houve essa situação nos testes clínicos da vacina. A partir da primeira dose a vacina já oferece alguma proteção, mas é fundamental que toda as doses sejam tomadas para se ter certeza de que se está imunizado de forma duradoura e equilibrada.

Administração da vacina da dengue

A vacina da dengue não pode ser aplicada em pessoas imunosuprimidas, grávidas, lactantes e pessoas com doença aguda ou doença febril moderada ou grave em curso. Isso ocorre porque os vírus atenuados não causam doença em pessoas com o sistema imunológico em ordem, mas não foi testada em pessoas com o sistema de defesa mais deficiente.

Efeitos adversos possíveis

A vacina foi considerada como segura, não trazendo efeitos adversos graves. No entanto, é possível esperar efeitos colaterais comuns a vacinas, como febre, reação no local em que foi aplicada, entre outros.

Onde encontrar a vacina da dengue

A vacina contra a dengue da Sanofi Pasteur começará a ser distribuída para o mercado privado em agosto de 2016. Ela será vendida às clínicas por um valor entre 132 e 138 reais, mas o valor para quem for tomar variará de acordo com o estabelecimento. Ainda não há previsão da chegada da vacina na rede pública.

Já a vacina contra dengue do Instituto Butantan precisa passar pela fase 3 de testes antes de ser licenciada e produzida. Acredita-se que até 2018 ela esteja em condições de ser feita.

Perguntas frequentes

Qual a eficácia da vacina contra a dengue?
A eficácia da vacina contra dengue na população acima de 9 anos é de, aproximadamente, 66% contra os quatro sorotipos de vírus da dengue. Isso significa que em um grupo de cem pessoas, 66 evitariam contrair a doença. Além disso, reduz os casos graves - aqueles que levam ao óbito, como a dengue hemorrágica - em 93% e os índices de hospitalizações em 80%.

Quem já teve dengue pode tomar a vacina?
Não só pode, como deve. Pessoas que já tiveram dengue costumam ter uma resposta melhor contra a vacina, por já terem se exposto a um sorotipo do vírus anteriormente. Isso ocorre devido a memória imunológica, que é o mesmo princípio da vacina: quando você se expõe uma vez a um vírus, o corpo se lembra dele e sabe como responder adequadamente. Dessa forma, ocorre o chamado efeito booster. De qualquer forma, mesmo quem já teve dengue deve tomar as três doses da vacina para garantir uma imunização completa.

Se eu tomar a vacina contra dengue, ainda preciso me proteger do Aedes?
Sem dúvida! Não se deve esquecer que a fêmea do mosquito Aedes aegypti ainda transmite outras doenças, como zika vírus, febre chikungunya e febre amarela. A vacina contra a dengue só protege contra essa doença, e para prevenir as outras e suas complicações, é importante evitar a picada do mosquito.

Fontes

  • Pediatra Isabella Ballalai (CRM: 52.48039-5), presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBIm)
  • Sheila Homsani (CRM-RJ: 534.941), diretora médica da Sanofi Pasteur, divisão de vacinas
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.