Teste de DNA: tire suas dúvidas sobre o exame de paternidade

Esses exames ainda são feitos para verificar doenças hereditárias em crianças e adultos

ARTIGO DE ESPECIALISTA

Dr. Ciro Martinhago
Genética Médica - CRM 102030/SP
especialista minha vida

O que é o teste de DNA?

O teste de DNA é basicamente é a leitura dos genes de uma pessoa. Saber qual é a sua estrutura, em quais cromossomos estão localizados, se estão modificados ou danificados.

PUBLICIDADE

Outros nomes

Esse exame também recebe o nome de mapeamento genético

Como é feito o teste de DNA

É necessário coletar amostras de algum fluido corporal que pode ser o sangue, saliva, unhas, fios de cabelo ou esperma.


Usando sofisticadas técnicas de laboratório, o DNA das amostras é isolado e então é procedido o mapeamento, que é feito por equipamentos chamados "Sequenciadores de DNA".

Os primeiros sequenciadores levavam meses para fazer o mapeamento genético e o custo era de milhares de dólares. Mas as coisas estão mudando nessa área. O mais novo sequenciador de DNA do momento, o NGS (sigla para Next Generation Sequencing), é capaz de mapear o genoma humano de dezenas de pessoas de uma só vez, com um resultado absolutamente preciso. O prazo de entrega do resultado cada vez é menor: certas leituras de DNA pela tecnologia NGS podem ser realizadas em menos de 24 horas.

Testes de paternidade
Nos testes de paternidade, o exame é realizado com amostras de DNA da criança, da mãe e do suposto pai. É possível também fazer o teste de paternidade na mulher ainda grávida de duas formas: testes não invasivos e testes invasivos.

Já o teste invasivo consegue pegar mais detalhes sobre o bebê, verificando doenças hereditárias e genéticas que ele pode ter.

Quanto tempo demora para sair o resultado?

Tudo depende do que está sendo analisado no teste de DNA. Sequenciamentos de todo o DNA, como os feitos nos testes de paternidade, podem demorar até 2 semanas. Já exames que procuram mudanças específicas no DNA podem demorar até menos de 24 horas.

Cuidados antes do teste de DNA

Não é necessário preparo especial antes da coleta das amostras para o exame de DNA. No caso de mulheres gestante, é preciso que seja uma gravidez de pelo menos 10 semanas (no caso do teste não invasivo) para que o resultado seja exato.

O material coletado deve ser acondicionado em um kit apropriado que o laboratório oferece para esse fim. A amostra deve ser conservada em temperatura ambiente e enviada ao laboratório com uma ficha preenchida com os dados da paciente e respectivo termo de consentimento informado.

Fatores que alteram o resultado do teste de DNA

Como o DNA de uma pessoa é único, ele não consegue ser alterado por drogas, álcool, medicamentos, alimentos, idade ou estilo de vida, nem mesmo por procedimentos cirúrgicos. No entanto, caso o paciente já tenha feito transfusão de sangue, isso deve ser avisado ao laboratório.

Possíveis resultados do teste de DNA

Normalmente o laudo de um exame de DNA trará quais os genes e cromossomos foram estudados e a análise do geneticista sobre eles. Os resultados são apresentados em relatórios simples e claros.

Em exames para definir a paternidade o resultado é sempre comparativo. Metade do DNA do bebê vem da mãe e a outra metade do pai biológico. Depois de especificar os DNAs do pai e da mãe, faz-se a comparação com o DNA do bebê.

É preciso primeiramente tentar excluir a paternidade com as informações obtidas no laboratório, após a caracterização de várias regiões do DNA. Quando quatro ou mais discrepâncias são verificadas, a hipótese de paternidade é excluída por ser impossível.

No entanto, se não há a exclusão da paternidade, aí então começam os cálculos para pesquisar a inclusão ? o resultado positivo de paternidade.

O teste de DNA para paternidade pode dar um resultado falso-positivo ou falso-negativo?

Os testes de paternidade podem ter resultados falsos - tanto positivos, quanto negativos.

Os falso-negativos podem ocorrer devido à troca de amostras, ou negligência na operacionalização do exame, gerando interpretação duvidosa. Outra razão para um falso-negativo pode ser a ocorrência de mutações genéticas, mas este é um fato muito raro que não passa desapercebido por um perito experiente, que usará mais marcadores genéticos até que o resultado ? positivo ou negativo ? seja inequívoco: acima de 99,999%.

Já os resultados falso-positivos são muito mais raros, mas podem ocorrer devido interpretação mal-feita pelo perito, uso de técnica inadequada ou pelo baixo número de marcadores genéticos utilizados.

Um bom laboratório de genética utiliza mais de 15 marcadores para garantir o nível de certeza de 99,999%.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.